quinta-feira, 10 de maio de 2007

Jinongonongo (nº1)

O jongo é uma manifestação cultural essencialmente rural, diretamente associada à cultura africana no Brasil e que influiu poderosamente na formação do Samba carioca em especial e da cultura popular brasileira como um todo. o Jongo foi trazido para o Brasil por negros bantu, seqüestrados nos antigos reinos de Angola e do Congo, na região compreendida hoje por boa parte do território da República de Angola. O Jongo tem provavelmente, como uma de suas origens mais remotas (pelo menos no que diz respeito á estrutura dos pontos cantados), o tradicional jogo de advinhas angolano denominado Jinongonongo. É característica e essencial à manifestação também, a evocação de símbolos cabalísticos ou rituais específicos, entre os quais, os mais evidentes estão ligados à fogueira e à bananeira, entidades propiciadoras, junto com a música das vozes e dos tambores, da ocorrência de fenômenos supostamente paranormais.
Da manifestação do Jongo podem participar homens e mulheres, mas esta participação, em sua forma original, sempre esteve, rigorosamente, restrita aos iniciados ou mais experientes da comunidade.
Nessa nova sequência do blog, vamos seguir o mesmo esquema feito com o "Maracatus, Batuques e Ladeiras", onde são postados grupos atuais como o Jongo da Serinha, que mantem viva a tradição do jongo, e gravações antigas originais, que não ultrapassam o ano de 1930.

Jongos de Hoje

Caxambu de Sa Maria
Pica Pau/ Carreiro Bebe
Finca a Tenda/De Lorena/ Jongueiro Bom

Jongos de Ontem

Seu Coitinho pegue o Boi - Patricio Teixeira (1926)
Sai Exú - Benicio Barbosa (1928)
Eu Vou Girá - Mota da Mota (1930)
São Benedito é Orô Só - Mota da Mota (1930)

PASSPORT

4 comentários:

Adriane disse...

Fantástico seu blog.
Parabéns.

Anônimo disse...

Adoro tbm

Ana disse...

POST NOVAMENTE POIS EXPIROU... POR FAVOR... OBG...

Musikfabrik disse...

Ô Livio,
Seu blog é muito bom, mas, coloca o crédito para o verbete do Jongo aí. A fonte é a Wikipédia. É que eu mesmo fui o 'anônimo' autor da maior parte do verbete que, tenho visto que se espalhou numa boa por aí. O crédito À fonte é contudo, a alma do nosso negócio de disponibilizadores de onteúdo gratuito para a internet, não é não?

Abs